Transportes

BICICLETA
Existem 18 milhões de bicicletas na Holanda o que significa uma média superior a uma unidade por cada habitante. E apesar de ser um país pequeno existem 18.000 km de pistas para bicicleta. Este números, impressionantes para certos países, fazem com que a Holanda seja um país para pedalar faça chuva ou sol, mas geralmente à chuva, pois é o mais comum. Mas há mais: não obstante ser um perigo ter uma bicicleta estacionada – 800.000 são roubadas por ano – qualquer condutor de uma bicicleta se sentirá seguro e respeitado na estrada, pois uma bicicleta tem, talvez até, prioridade perante os peões. Ou pelo menos assim parece. Portanto uma vez na Holanda, use e abuse da bicicleta seja para ir para o trabalho, escola, passear, ou ir ao supermercado.

TRANSPORTES PÚBLICOS
Os transportes públicos na Holanda não são baratos, seja camioneta, elétrico, metro ou comboio. Se tentarmos comparar os preços com os de Portugal, por exemplo no comboio, veremos que não convém morar a muitos quilómetros do trabalho, pois arriscamo-nos a pagar um par de centenas de euros pelo passe. Felizmente é comum que algumas empresas ofereçam o passe aos trabalhadores. Nem sempre por serem amigas do empregado mas porque por vezes podem deduzir essa despesa. O taxi, esse, é realmente apenas de apanhar quando necessário e convém negociar o preço se puder.
Mas nem tudo são más noticias. Os transportes no geral são bastante bons e pontuais, as estações de comboio estão bem apetrechadas com lojas e supermercados para tudo o que o passageiro precisa, desde café para levar, livros, flores ou bicicletas para alugar. Em vários comboios existem também áreas de silêncio e internet sem fio. Se tiver o passe recarregável OV-chipkaart poderá apanhar grande parte dos transportes públicos na Holanda e pode controlar os seus custos, ou até alugar bicicletas com ele. Se não tem ainda pode pedi-lo por aqui:

http://www.ov-chipkaart.nl/

Este cartão pode ser pessoal, ou anónimo. No primeiro caso permite incorporar descontos que lhe sejam imputáveis ou por exemplo ter acesso ao aluguer de bicicletas, ou no caso de ser estudante, acumular os beneficios imputáveis. No segundo, pode-se usar como um cartão descartável para usar, por exemplo, quando em turismo.

CARRO
Comprar carro nos Países Baixos é caro e o imposto pode chegar a 45% do preço. Uma vez que quase nenhum país europeu paga tanto de impostos nos carros como na Holanda, talvez considere importar o seu. No caso de este ter menos de 6 meses ou 6,000 quilometros ou matrícula emitida com menos de 6 meses pagará o IVA na Holanda. Nas restantes situações, a importação de uma carro está sujeita a um imposto sobre o veículo. Se o veículo vier de fora da EU, então poderá pagar taxas alfandegárias. Consulte mais informações em:


http://www.belastingdienst.nl/wps/wcm/connect/bldcontenten/belastingdienst/individuals/cars/bpm/private_motor_vehicle_and_motorcycle_tax/private_motor_vehicle_and_motorcycle_tax_bpm_importing_a_car

INSPEÇÃO E SEGURO DO CARRO
Outros detalhes com carro são a obrigatoriedade de possuir um seguro contra terceiros e manter o veículo inspecionado num centro autorizado pela RDW:

http://www.rdw.nl/nl/particulier/internationalvisitor/import/Pages/ImportingapassengervehiclefromtheEuropeanUnion.aspx

CARTA DE CONDUÇÃO
Ao residir na Holanda, pode ser ainda ser usada uma carta de condução estrangeira por um certo período. Este período é variável e findo este tempo, é necessário obter uma carta holandesa. Se uma carta for portuguesa, ou de outro país da EU pode usá-la por até 10 anos.

Fonte: rdw.nl